TURISMO RURAL NA BAHIA, na década de 80

TURISMO RURAL NA BAHIA

Na Bahia, na década de 80, teve início alguns planos de desenvolvimento regional inserindo o turismo rural, por parte de entidades ligadas a agricultura nas regiões mais distantes do sertão, bem como com produtores de sisal na região de Valente, demonstrando a potencialidade da atividade. Ao longo dos anos 90, capitaneado pelo SEBRAE e iniciativas particulares, surgiram programas de fomento ao turismo rural em regiões do Recôncavo Baiano, porem muito timidamente, e aquém da potencia turística do Estado. O Governo do Estado da Bahia somente a poucos anos, reconheceu o potencial da atividade, como complementar ao turismo cultural e de sol e mar, um dos maiores destinos nacionais de turismo.

traripe
Turismo Rural na Bahia

O crescimento registrado do Turismo Rural na Bahia quanto ao fluxo do setor foi de 30,55%, passando de 108 mil turistas em 2003 para 141 mil em 2004, sem computar todo o mês de dezembro.

No mesmo período, o número de propriedades pulou de 90 para 108 hotéis-fazenda, o que representa um incremento de 20%. Essa evolução. Ultimamente, os hotéis-fazenda não têm sido procurados apenas para lazer, mas para congressos, encontros, reuniões de empresas, seminários, convenções, casamentos, aniversários, festas familiares e de grupos de trabalho, entre muitos outros eventos. E não pára por aí. Também têm sido a opção de muita gente para descansar, não somente no final de semana mas em ocasiões especiais como Carnaval, Natal, Reveillon e, principalmente, o São João.

Para este ano as previsões são de um aumento de 20,37% no número de propriedades, chegando a 130 estabelecimentos, e de 41,84% no fluxo, que deve fechar 2005 com 200 mil turistas. As projeções são bastante otimistas e não poderia ser diferente. Afinal, criado em 1998, quando existiam 13 propriedades cadastradas, o PTR deu um salto considerável e hoje reúne 108 hotéis-fazenda, o que equivale a uma evolução de 900% em apenas seis anos.

O calendário de atividades já está pronto e prevê uma série de atividades, como cavalgadas, provas de enduro eqüestre, manifestações culturais regionais, dias de campo e reuniões. Uma programação bem variada, a fim de tornar o turismo rural cada vez mais atrativo.

Permitido somente para as propriedades produtivas, o turismo rural tem garantido uma inestimável contribuição para o desenvolvimento do interior, pois se constitui em um instrumento de divulgação das características econômicas das diversas regiões e municípios, promovendo as atrações turísticas, estimulando o consumo e atuando como fator responsável pela geração de emprego e renda.