Abaíra, cidade tem potencial para o turismo ecológico

Apesar de ser conhecida como a terra da cachaça, Abaíra tem diversas outras maravilhas a oferecer ao visitante. Localizada a 592 km de Salvador, a cidade também orgulha de seus recursos naturais e de um rico acervo arquitetônico que guarda a história dos tempos dos coronéis e da passagem da Coluna Prestes pela Bahia. Situado no coração da Chapada Diamantina, o município, que no vocabulário indígena quer dizer abundância de mel, encontra-se em uma região de rochas cristalinas, possui um relevo bastante montanhoso, seu clima é tropical sub-úmido do tipo seco, atualmente, a localidade conta com uma população de 8.659 mil habitantes.

A cidade tem potencial para o turismo ecológico

Além do patrimônio histórico e cultural, a cidade também tem potencial para o turismo ecológico, sendo uma boa alternativa para suas férias neste verão ou somente um final de semana com muito sossego, ar puro e cultura. Como todos os municípios da Chapada, Abaíra oferece ao turista lugares de rara beleza e opções de lazer que não acabam mais. Aqui, é possível escalar o Pico do Barbado, o maior do Nordeste, com mais de dois mil metros de altura, há ainda as cachoeiras da Samambaia e Antônio João, o rio subterrâneo, as pinturas rupestres e o Casarão da Água Suja. Aliás, casarões e sítios do século 18 são uma excelente pedida para o turista que deseja se hospedar num cenário bem diferente do habitual.

ABAIRA

HISTÓRICO – Surgido no século XIX, Abaíra foi emancipado de Piatã em 1962, há 44 anos. No início, o povoado era conhecido como Tabocas em razão da grande quantidade de uma espécie de bambu existente às margens do Rio Taboquinha. Depois de alguns anos o nome Tabocas foi mudado e aprovado pela lei estadual para Abaíra. Um dos marcos culturais da cidade é a Sociedade Litero Musical Lira Abairense com mais de 90 anos de fundada, alegrando os festejos e as comemorações cívicas do município.

Cidade simples, mas bem cuidada, Abaíra atualmente vem experimentando forte crescimento diante da atividade canavieira. O município passou a ser referência nordestina na produção da cachaça de boa qualidade. Localizados a cerca de 40 km da sede do município, os casarões em estilo colonial, da época do ciclo do ouro e do diamante, dispõem de vários cômodos e são cercados por áreas verdes e montanhosas, além de engenhos e cavernas que compõem ainda mais a maravilhosa paisagem. São cerca de 23 casarões prontos para receber visitantes, essa idéia é um projeto desenvolvido pela prefeitura municipal em parceira com o Programa de Turismo Rural da Secretaria da Cultura e Turismo. O turismo rural é um dos segmentos que mais têm se desenvolvido nos últimos anos na Bahia, oferecendo diversas alternativas em diferentes cenários para turistas nacionais e estrangeiros.

Além de oferecer hospedagem em lugares históricos e rústicos, Abaíra tem várias opções de lazer tanto para o dia como a noite, como trilhas e caminhadas, que têm no percurso engenhos, pequenos povoados, cachoeiras, rios e plantações e estão entre os programas mais procurados. Os bares e as festas de praça, com apresentação de bandas locais é outra ótima pedida para as noites frias do lugar.

AVENTURA – Em Abaíra encontra-se o Pico do Barbado, ponto culminante da Bahia com 2.033 metros de altitude. É também na localidade que se encontram recursos naturais de valor inestimável e um rico acerco arquitetônico que guarda a história dos tempos dos coronéis e da passagem da Coluna Prestes pela Bahia. Para quem gosta de aventura em contato com a natureza, as trilhas antigas de garimpeiros na mata sugerem longas caminhadas, mountain byke, cavalgadas e off-road. Para os que adoram um desafio, pode-se fazer ainda trecking, rapel e escaladas entre os vales e montanhas.

Outro local muito visitado é o distrito de Catolés, que possui um sítio histórico com construções do século XVIII e foi cenário do filme “O Cascalho”, de Tuna Espinheira. A localidade fica em uma área acidentada, mas a vila apresenta um traçado regular e tipo urbano simples. A arquitetura é espontânea, formada por grutas naturais, está despertando para o ecoturismo e a habitação de antigos garimpeiros foi revitalizada para abrigar museu e galeria que resgatam a cultura do diamante.

Como se pode ver, Abaíra tem muito mais do que uma boa cachaça, tem turismo ecológico e de aventura de qualidade, num lugar bonito por natureza, cheio de histórias e encantos a serem descobertos. Os que desejam conhecer a cidade, saindo de carro da capital pela BR-324 é preciso chegar em Itaberaba, a partir daí, há duas opções: ir até Mucugê, por Andaraí, passar por uma estrada de 20km sentido Barra da Estiva, onde há placas de sinalização indicando a reta final; ou seguir sentido Seabra, após 18km virar a esquerda, seguir até Piatã e depois mais 23km, enfim Abaíra. Essa opção aumenta o percurso em 100km, mas a estrada é asfaltada e oferece mais segurança.

(Fonte: Ascom da UPB. Gutemberg Cruz)