Produção associada ao turismo é foco de visitas ao interior baiano

Polos relacionados à produção associada ao turismo receberam atenção especial do secretário Nelson Pelegrino, que, neste final de semana, visitou os municípios de Ilhéus, Ibicaraí, Teolândia e Aratuípe, no distrito de Maragojipinho. A intenção das visitas foi incentivar que a produção local, de alimentos a artesanato, seja absorvida pela atividade turística em hotéis, bares, restaurantes e lojas, por exemplo.

Na Costa do Cacau, o chocolate foi o foco das conversas no Centro Tecnológico Agroindustrial da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), criado por meio de parcerias dos governos federal e estadual, na gestão Jaques Wagner. No local, é possível conhecer todo o processo de produção do chocolate – desde a colheita, seleção da amêndoa, torrefação e separação do nibis, até a produção do chocolate. Pelegrino também conheceu a cooperativa de produção de achocolatado, além da fábrica Bahia Cacau, localizada em Ibicaraí.

Produção associada

“Fiquei muito bem impressionado com a qualidade da assistência prestada aos produtores de cacau. Queremos que a zona turística, que já é conhecida pela obra de Jorge Amado, pela sua história, cultura e belezas naturais, também seja a região do chocolate no Brasil. Cacau e chocolate estão atrelados ao turismo nessa região e configuram um novo produto turístico no qual estamos investindo”, lembrou Pelegrino.

Já na zona turística Baía de Todos-os-Santos, o município visitado foi Aratuípe, especialmente o distrito de Maragogipinho, conhecido pela produção de artesanato em cerâmica e pelas imagens sacras produzidas por santeiros. “O artesanato da localidade tem admiradores e consumidores do mundo todo. Vamos colocar Maragogipinho na rota do Prodetur da Baia de Todos-os-Santos, que tem foco no turismo náutico e cultural nessa zona turística”, comentou.

A Indústria Cidadã, em Teofilândia, é uma das iniciativas que podem ser agregadas às cadeias produtivas fornecedoras de insumos para bares, restaurantes e meios de hospedagem baianos. A organização atua no beneficiamento da banana, produção de polpas de fruta e artesanato.